sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Happy New Year!

Nossa, mal posso acreditar que já é dia 31 de dezembro. Que ano tumultuado hein? Não vou acabar o ano como gostaria, na verdade vou acabar o ano 17 quilos mais gorda do que queria. Aí fico pensando que se eu não tivesse dado bandeira e não fosse na psicologa isso nunca teria acontecido! Podia tá com meu peso lindo e maravilhoso e meus pais nem desconfiariam.. :/ Penso, me arrependo, choro por causa disso, mas sempre chego a mesma conclusão: é preciso levantar a cabeça e seguir adiante! Sempre cuidando pra não cometer os mesmos erros de antes. E isso se aplica a tudo na vida, viu. Pensem com cuidado antes de fazer besteira, e se forem fazer mesmo assim aproveitem ao maximo! hahah Quanto as minhas metas pra 2011, pretendo emagrecer tipo 1 quilo por semana até completar 10 e depois emagrecer 1 por mês, pra ninguém perceber! Se tudo der certo, chego em 2012 pesando 40 quilos, com IMC 14,17 *-* Sugiro que vocês escolham só uma sobremesa hoje e não fiquem beliscando, encham o prato de salada e não repitam. Se possivel (e sei que é impossivel) não bebam haha

UM FELIZ 2011, MUITO MAIS MAGRO E COM OSSOS A VISTA!












terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Mais um :(

To triste nos ultimos dias... me sentindo horrivel mesmo sabe? Acho que é a parte depressiva do TH falando mais alto. Esses remédios que deveriam me ajudar me deixam mais pra baixo, mais depressiva, sem vontade de nada. Daí tem um psiquiatra novo amanhã, já que a minha psiquiatra se recusou a me atender, depois de fazer eu ser internada duas vezes. Isso colabora pra me deixar triste. E engordei mais um quilo, voltei aos 57kg, estaca zero de novo. To sem forças sabe.. sinto que vou ter uma péssima virada de ano só porque to me sentindo A obesa mórbida. Queria que essas banhas, essa barriga, coxas e braços sumissem!! Pra completar tem minha mãe.. nossa, a gente brigou muito ontem. Começou comigo dizendo que tava sem fome, ela já interpretou que eu não queria comer e começou a me xingar, aí meu pai misturou tudo e comentou sobre o fato de eu ir pra academia todo dia ser um retrocesso, que to doente, que nunca vou me curar - ele não sabe quão doloroso é alguém falar na tua cara que tu tá doente e nunca vai se curar. Aí eles acharam as cápsulas de guaraná na minha bolsa e disseram que começa assim, primeiro um estimulante leve e daqui a pouco to nas porcarias de novo (mal sabem eles que eu fui pras porcarias antes do estimulante leve). Daí pedi minha balança de volta e minha mãe se recusou a me dar. Foi um chuta cadeira pra lá, grita pra cá e no fim eu disse pra minha mãe que se ela encostasse mais um dedo em mim de novo era melhor ela começar a dormir de olhos abertos. Não gosto de brigar com ela, mas puta que pariu, ela não tem NOÇÃO do quanto ela é chata, do quanto incomoda ver 10 quilos de gordura acumulados e não poder fazer nada a respeito por causa de uma filha da puta que nem ela. Ah, se eu tivesse grana me sumia daqui e só voltava com 43kg! A ultima coisa que eu queria era ficar reclamando dos meus pais no meu blog, mas to com isso entalado aqui e não tem pra quem contar.
Mudando de assunto, mas não indo muito longe, o personal trainer da academia que não me via desde agosto comentou que eu to mais ''bolachuda'' e ''com barriguinha'' - eba, tudo que eu precisava pra alegrar meu dia. Quem sabe assim tomo um pouco de vergonha na cara.
Velho, essa dieta hospitalar MUDOU meu metabolismo que era super acelerado. Eu juro que to comendo pouco pra uma RA (sem carboidrato a noite e duas colheres de arroz de almoço) e ainda indo pra academia e nada sabe, nada! Acho que to com hipotireoidismo, vou pedir pro psiquiatra o encaminhamento de exames amanhã.
Por último, minha amiga me chamou de anoréxica e eu não sei se foi brincando ou se foi de verdade, mudei de assunto e espero não ter que falar mais nisso com ela.

Espero que da proxima vez que eu postar aqui possa dizer que emagreci 1 quilo! Na foto eu depois e antes das internaçoes.. deprimente né? Conselho: NUNCA SE INTERNEM.

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Merry Christmas

Vocês não odeiam quando alguém abraça vocês e o perfume da pessoa fica pra sempre impregnado na pele, roupa e cabelos? ¬¬ Enfiimm, não foi por isso que vim aqui, só fiquei meio indignada agora haha. Vim por dois motivos; primeiro pra contar que emagreci 1kg e to muitissimo feliz com isso porque é um grande avanço pra quem, há 7 dias, só engordava e não tinha mais esperança. Depois pra desejar um FELIZ NATAL né gente, sem exageros mas sem perder o espírito natalino por causa de uma doença. Festejar é a palavra do momento, vou beber mesmo com todos os remédios que to tomando porque, de boa, preciso de um champagne hoje! Vou pra uma festa open bar e não saio há mais de dois meses, espero não fazer estrago. Fora as gorduras a mais que sinceramente resolvi ligar o foda-se hoje, to me sentindo linda, meu cabelo resolveu se ajeitar, a make funcionou e o vestido tá perfeito (pretinho nada básico), então bora fazer festa! Um beijo e bons presentes do bom velhinho para todas! ;)

PS: Faltam 9 pra eu ganhar meu presente que mais quero no momento. ~~

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Desafio de verão - 10kg

Como é bom poder escrever aqui quando bate vontade... lá no hospital eu ficava deitada com os olhos fechados imaginando como escreveria tanta coisa (no fim optei por não escrever nada pra não ter que ficar lembrando). Enfim, agora que as coisas tão se ajeitando, vim contar que já fui na farmácia comprar aquele remédio que me fez ser internada e inclusive já meti dois pra dentro. Sei lá, não tenho jeito eu acho. Também to a procura de uma nova dieta pra seguir, mas acho que vou fazer só LF já que tem muita gente em cima de mim (agora quase toda minha família sabe) pra que eu coma. E a academia é jump 3x por semana e 1h de esteira 2x por semana, já que agora tenho que pegar mais leve. Mas admito que sempre que fico sozinha em casa fico subindo e descendo a escada que nem uma louca. :P
Cara, to com um medo do Natal... acho que não to pronta ainda pra ver um monte de coisa gostosa e me controlar sabe? E é incrível que quanto mais gorda eu to, mais desmotivada fico e mais quero comer... Tá me batendo uma saudaaade do inverno quando lá por julho/agosto eu tinha um IMC 16,6, ficava 3 dias sem comer, fazia polichinelos e abdominais feito uma maníaca e me entupia de chás, laxantes e medicamento X. Porra! Era bom demais! Prometo pra mim mesma que vai ser assim de novo, 2011 vai ser assim!! Minha prioridade #1 é emagrecer 10 quilos nos próximos 2 meses (e só não emagreço 10 quilos em 10 dias porque não posso levantar bandeira que continuo a mesma louca de antes). Vou la almoçar ao estilo Cassie (do skins). Beijo a todos!

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

61 dias

Os 2 meses mais longos e difíceis da minha vida. Ainda não sei se é porque tive que lidar dia após dia com uma doença que - acreditem - ainda não acredito que tenho, ou se foi porque unidade psiquiátrica é realmente uma experiência traumatizante. Vi e vivi coisas terríveis, que não desejo a ninguém. Perdi as contas da quantidade de rivotril que precisei para dormir. Mas o pior, o pior mesmo, é o acumulo desde a primeira internação; somam-se 10 quilos já. Dez quilos que necessito tipo, urgentemente perder. Vai começar tudo de novo porque foram 2 meses jogados no lixo. Dietas, exercicios e efedrina, tudo vai me tomar aos poucos. Agora meu unico objetivo é voltar aos 47 quilos iniciais e enquanto faço isso vou rezando pra quando eu chegar lá (porque eu vou sim chegar lá) eu não queira 45, 43, 41 e os 39 quilos absurdos de antes. Já deu pra perceber que eu não acho que tenha valido a pena né? haha Acho que é que nem parar de fumar, se tu não quiser realmente, nada no mundo te faz parar. E eu não vou parar! Fora esse caos que não se ajeita na minha vida, tá tudo muito bom, to feliz em relação ao resto, to feliz de voltar pra casa, to feliz com o verão, adooro calor, sol e piscina!

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Internação - Fase II


Vou resumir. Ontem eu enlouqueci. Se vocês bem viram o último post de algumas horas atrás sabem do que estou falando. Depois de tudo aquilo, peguei todos os remédios, virei na cama dos meus pais e supliquei pra ser internada. Disse que tinha um problema muito grande de vício desde os 13 anos de idade (com álcool, drogas ilícitas (que alias, isso já foi superado) e, agora,  medicamentos) e precisava ser tratada, otherwise eu estava somente cavando mais e mais meu túmulo. E quer saber? Por mais que eu queira morrer muitas vezes, não, não vou morrer, meu lado que quer viver vai ganhar essa batalha, essa guerra, e depois que tudo for superado o resto vai ser balela. Insônia. Daqui umas horas, quando o leito for liberado, eu vou ser internada. Vou perder contato aqui, por isso resolvi escrever. Dessa vez é sério, dessa vez é real, lá vou eu enfrentar a coisa mais difícil da minha vida. Em meio a tudo isso to com fome. Só fico mais confusa ainda porque não sei nem se devo ou não comer, minha alma não quer, mas minha carne suplica. Medo e angústia. Queria conseguir colocar tudo pra fora, que nem num vômito, todos esses sentimentos ruins que vão me apoderando. Ao mesmo tempo, não posso por em palavras o alívio que foi quando eu me vi despejando uma sacola cheia de comprimidos e frascos e cartelas vazias na frente dos meus pais. Machucou ver o sofrimento nos olhos deles, mas ia machucar mais ainda quando eu caísse morta. Agora sim, uma nova etapa. Eu volto, assim que puder.

PS: Saber que decidi por um tratamento no Dia de Amar Seu Corpo me deixou bem alegrinha :)

With Love,
Alice

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

And I wanna spend the night with you

É com muita lamentação que venho escrever aqui hoje. E alegria. O problema de ter duas pessoas dentro de si é esse: uma batalha ganha é uma batalha perdida. E eu não durei uma semana, nem três dias... Ontem tomei uma decisão que mudou tudo: resolvi voltar pra academia, não importava o que me disessem ou o quanto tentariam me impedir. Que fiquei claro que meus motivos conscientes para isso foram todos bem intencionados.. Queria retomar minha vida, rever amigos, liberar mais endorfina, ser mais feliz. E daí me deparei com uma coisa que me deixou muito triste: minha última pesagem na ficha. E então hoje me matei na esteira e não comi antes de ir, nem depois da academia. Joguei um pouco de comida fora e fiz uma sujeira básica na cozinha. E pretendo omitir o jantar também. Outro detalhe importante é que passei na farmácia e me rendi àquela combinação de remédio Y com cafeína, antes de ir na academia, pra aumentar o metabolismo. Se vocês querem saber eu liguei o foda-se mesmo e ignorei qualquer sentimento de culpa que isso me trouxe. Porque não, não foi que nem antigamente que era simples, fácil e eu não me importava. Dessa vez doeu, doeu muito. Mas como diria Drummond "A dor é inevitável, o sofrimento é opcional" e SIM, resolvi ignorar com todas as minhas forças a culpa e me sinto muito mais forte pra me matar. Faço isso conscientemente, lamento, mas faço. Descobri que sou uma viciada, que tem um lado que quer se curar (o lado que pensa em se internar) e um lado (mais forte) que não deixa isso acontecer. É a grande batalha, é por isso que preciso de drogas que aceleram o metabolismo, isso me tira toda energia. Não preciso de psicólogo pra me falar que sou impulsiva e viciada, eu sei e, sinceramente, acho que ninguém deveria se meter nisso. NÃO queria ver pessoas que eu amo sofrendo com isso, acho sim um grande egoísmo, por isso pretendo esconder tudo de novo, sem tratamento, sem sofrimento pros outros, só pra mim. E, se tiverem um tempinho, dêem uma lida nessa música da The Veronicas, 4 ever, que me acompanha em TO-DOS os lugares que eu vou e sempre me dá forças quando eu acho que tudo está perdido. É como se a anorexia falasse comigo. Assistam o vídeo também (o do link aqui em baixo, - não o vídeo que eu postei - porque não dá pra por em blog) porque é MUITO bom. Aliás, podia fazer um post só dedicado a The Veronicas, amo demais, é tudo de qualidade. E muitas músicas tocam lá no fundo que nem essa. ;)

LINK PRO CLIP OFICIAL




Para Sempre

Aqui estamos nós, então o que você vai fazer?
Eu tenho que soletrar pra você?
Eu vejo que você tem outros planos para essa noite
Mas eu não me importo muito

Analise-me, você sabe que eu ganho do melhor
Tic Tac sem tempo para descansar
Deixe-os dizer o que vão dizer,
Mas esta noite eu não me importo realmente

Venha, meu bem, nós não vamos viver para sempre
Deixe-me te mostrar todas as coisas que poderíamos fazer
Eu sei que você quer ficar junto
E eu quero passar a noite com você
YEAH YEAH
Com você
YEAH YEAH
Venha comigo esta noite
Nós poderíamos fazer a noite durar para sempre (oh oh)

Eu vi tudo, não tenho nada para provar
Venha, meu bem, faça seu movimento
Siga-me, vamos deixar tudo para trás esta noite
Como se não nos emportassemos

Deixe-me levá-lo no passeio da sua vida
É isso mesmo que eu disse, tudo bem
Eles podem dizer o que quiserem
Porque esta noite eu nem me importo

Venha, meu bem, nós não vamos viver para sempre
Deixe-me te mostrar todas as coisas que poderíamos fazer
Eu sei que você quer ficar junto
E eu quero passar a noite com você
YEAH YEAH
Com você
YEAH YEAH
Venha comigo esta noite
Nós poderíamos fazer a noite durar para sempre (oh oh)

Vamos fingir que você é meu
Nós podíamos fingir, nós podíamos apenas fingir
Você tem o que eu gosto
Você tem o que eu gosto, eu tenho o que você gosta
Ah, vamos lá
Apenas prove uma vez e você vai querer mais

Então, diga-me o que você está esperando?

Venha, meu bem, nós não vamos viver para sempre
Deixe-me te mostrar todas as coisas que poderíamos fazer
Você sabe que quer ficar junto
E eu quero passar a noite com você
YEAH YEAH
Com você
YEAH YEAH

Venha, meu bem, nós não vamos viver para sempre
Nos podemos fazer a noite durar para sempre
Venha, meu bem, nós não vamos viver para sempre
Deixe-me te mostrar todas as coisas que poderíamos fazer
Você sabe que quero ficar junto
E eu quero passar a noite com você
YEAH YEAH
Com você
YEAH YEAH
Venha comigo esta noite
Nós poderíamos fazer a noite durar para sempre

terça-feira, 19 de outubro de 2010

Maybe I'll come back

Ontem tive consulta com a psiquiatra e eu juro que ela quase me convenceu de ser internada de novo. Só que dessa vez seria internação fechada (a outra era aberta) e eu teria que dividir quarto com mais 2 ou 3 pessoas. E, acho, só por isso eu não disse "ok, vamos tentar me internar". Bateu um desespero de achar que não ia mais ver a luz do sol, passear por entre árvores (não que eu faça isso) e principalmente ter todas as minhas refeições controladas que eu não consegui dizer sim. Na verdade, depende só de mim, então quando eu decidir ir tem meio que uma vaga "me esperando". Quer dizer, lá no hospital a responsável já conhece a minha história, então se eu precisasse ela agilizaria uma vaga pra mim. De qualquer maneira, ainda prefiro, por enquanto, ir na clínica (a triagem é dia 26) e tentar um tratamento aberto assim, digamos que "em liberdade". Mas vim aqui contar que resolvi me comprometer... tipo, de verdade. Não vou mais entrar no fake pra não ficar tentada, não vou mais procurar (nem fazer) dietas novas, muito menos lfs e nfs, não vou mais tomar os remédios (essa é a parte mais difícil #vício). Ah sei lá, tenho 19 anos e parece que parei nos 17, quero viver porra, QUERO VIVER!! Chega de ser escrava de uma doença, chega de viver triste, viver pra uma balança, pra uma fita métrica, deixar de aproveitar e sair com meus amigos por medo da comida, por não ter mais desculpas pra inventar sobre o porque não vou comer dessa vez, ou porque como baby carrots ao inves de pipoca no cinema. Não poder beber porque álcool engorda e porque tomo antidepressivos é o fim, chega, sempre fui fã de álcool e não vou deixar de curtir mais, que cacete. Fiquei de cara agora. hahahha
Talvez eu volte porque os primeiros dias quero ver como será, sem postar aqui e tal, mas meus planos são de continuar postando pra contar pra vocês como tá sendo essa luta, que sei que vai ser bem difícil, a auto-aceitação e tal. A força e apoio de vocês será bem importante, ao longo dessa nova e assustadora jornada... Enfim, é isso, vou lá tomar um banho e recomeçar a vida, do zero. :)

Um bom início a todos,

With Love,
Alice

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

16 just held such better days

Resolvi que ia fazer NF a todo custo, então fui comunicar minha mãe que não importava o que ela fizesse, eu não iria comer. Ela usou o que conseguiu, chorou tentando tocar meu lado emocional, e me ameaçou, disse que eu ia ter que aguentar as consequencias e tal. Foda-se também. Mas mano, to passando por essa crise que qualquer sinal de fome é o fim do mundo, é tão óbvio que eu não aguentei meu próprio NF. E daí eu choro, porque eu quero comer, mas não quero.. sabe? Óbvio que não quero mais engordar, to precisando emagrecer, mas não quero ser doente  e ter essa relação absurda com a comida. Ah sei lá, queria conseguir me expressar direitinho pra vocês entenderem que eu não quero ser assim, do jeito que tenho sido, só quero ser magra, cacete! Também decidi que se for pelos outros eu faço.. quer dizer, por mim eu não consigo fazer, sou uma fraca estúpida que não se valoriza, mas se eu me comprometer em fazer NF com alguém, eu faço, eu sigo. Então basicamente é isso, alguém que queira fazer um no food entra em contato ae. haha Se tiver idéia de uma dieta que seja muito boa deixa nos comentários, conta da experiencia, me ajudem por favor! :(

Eu to entrando naquela fase desesperadora e incontrolável - to chamando de fase mas eu nunca tinha passado por isso - em que eu to me vendo cada dia mais gorda, porque de fato estou engordando, mas não consigo fazer nada a respeito, além de comer. Preciso de um medicamento novo, preciso de drogas. E a idéia de ir pro hospital persiste.. quantas vezes já me peguei pensando em me entupir de X e ir pro hospital. O que é isso psicólogas que leem o meu blog? Carência? Necessidade de chamar atenção? Será que to me sentindo insegura demais aqui fora e preciso daquela segurança do hospital? Porra, porque não mentalizo essas forças pra não comer invés de pensar merda? Vou tomar qualquer coisa que tiver por aqui e conto se me deu uma acidose lática depois, já que é a conseqüência da superdosagem dessa merda que eu tenho escondida.

Meu orkut pra quem não tem e quer entrar em contato: http://www.orkut.com.br/Main#Profile?uid=1937948412717915924




With Love,
Alice

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Tudo de novo?

Eu acho que sou muito fora da casinha, as vezes (as vezes só ta? hahah). Sério, andei filosofando muito sobre voltar pra rehab, porque quando eu tava internada eu conseguia ter um controle MELHOR sobre o que eu comia. Eu queria tanto manipular tudo que estava ao meu redor que eu me alimentava de mentiras. Escondia comida, fazia exercícios, burlava pesagens, fingia uma recuperação, enfim, uma manipulação completa. Aqui fora não consigo nem fechar minha boca. Lá eu ainda conseguia vomitar de vez em quando, aqui não tem como. Lá eu escondia comida, aqui nas vezes que eu posso ficar sem comer dificilmente consigo, e acabo mentindo que comi menos pra poder comer mais porque tem uma compulsão terrível tomando conta. Não um dia, um horário, ou de vez em quando. Sempre, em todas as refeições, inclusive entre elas. Aqui, sou obrigada a encarar supermercados, padarias, festas, porções gigantes de comida. Lá vinha tudo pronto e eu só tirava. Aqui a tendência é colocar. Lá, quando eu ficava sozinha, ficava pulando, subindo escadas, caminhando, gastando calorias. Aqui me dá preguiça, dor e falta ar. Sei que tudo que eu falar aqui é desculpa pra ser uma gorda infeliz, mas logo eu que nunca quis ser gorda, porque tantas desculpas???? Não consigo entender! Comer de 3 em 3 horas me deixa com FOME de 3 em 3 horas. Se eu passo das 5h sem comer sigo um NF tranquilamente (tanto é que estou há 7, ja falo disso), mas ficar comendo toda hora me dá mais vontade de comer toda hora. Queria poder ficar 2 dias por semana longe de tudo e todos, no meu NF, tranquilamente, mesmo que me deixe fraca no início. Hoje fiquei sozinha de tarde, disse que não era justo eu ter que trabalhar com todo mundo fazendo feriadão e fui fazer compras no shopping. Sujei umas louças e pretendo sair com meus amigos mais tarde, aí falo que vou jantar fora, tomara que eles queiram sair, se não meu mini NF fode.
Enfiim, quase me entupi de medicamentos e fui pra emergencia de novo, não porque queria morrer, não (só) porque  queria emagrecer, mas sim porque queria ser internada. Quase liguei pra minha psiquiatra (porque to a bangu aí né, sem terapia nenhuma até fazer a triagem numa clínica, daqui 2 semanas) pedindo um help porque bateu desespero por ser magra de novo. Então peguei todo meu dinheiro e fui pro shopping, tava precisando suprir algum vício. hahaha
To rindo mas to ficando desesperada de novo, quero ser magra, preciso ser magra, preciso dos 49, 46, 43 e quem sabe um dia 39, se for pra se matar que seja definhando na magreza.

Quanto ao Anônimo dos comentários do último post... eu queria muito poder ajudar, mas me sentiria eternamente culpada por ficar dando dicas assim. Claro que quando me coloco no seu lugar tenho vontade de bater em um ser que nem eu que não quer ajudar quando a gente mais precisa. Mas me meter nessas de medicamentos foi a pior que entrei, se eu achasse tranquilo teria postado nome de remédios há muito tempo aqui. E mais, eu me drogo porque gosto da acelerada que dá, mas tentei por uma semana comer normal e tomar esse medicamente e invés de emagrecer eu engordei, ou seeeja, é tudo ilusão! Desculpa não poder ajudar. :(

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Getting a new life

47 kg
Velho, ontem eu lutei contra uma compulsão muito forte. Não comi nem 1/10 do que poderia ter comido, mas rolou uma coisa estranha. No meio a orgia alimentar, eu fiz pão de queijo, e claro que não dava pra esperar ficar pronto, então estava abrindo o forno toda hora e comendo cru mesmo. Numa dessas deixei o prato cair no chão, com o último pão de queijo. Vocês acham que rolou alguma dúvida entre comer pão de queijo com caco de vidro? Nem pra lavar me prestei. Enfim, passou, e hoje aconteceu algo bom. Percebi que estava lutando errado, preciso focar minhas forças em emagrecer, e não em não pular refeições. Foi mágico, cheguei em casa com dor de cabeça e comecei a pular corda de novo, nem aí pra dor de cabeça. Vou emagrecer de novo, dessa vez não até os 47 quilos que foi o peso mínimo, mas sim até os 43. 43 sempre foi meu número preferido. 43. Vai demorar um pouco, não quero dar bandeira e to com quase 10 quilos a mais que isso, 52,6. Primeiro vou começar do começo: a primeira meta é 49, que já me deixa com IMC 17,4. E eu juro que quando chegar aos 43 quilos vou ser thinspo de verdade, com IMC 15,2. :) Obvio que não quero ser internada de novo, mas se for pra ser uma gorda livre ou uma thinpo na rehab, prefiro a rehab, sorry mãe. Quanto a AINDA não menstruar, vou na gineco e pedir remédinho, então ninguém pode dizer que to doente porque não menstruo mais. Enfim, várias decisões.

Pergunta: Alguém sabe onde compra daqueles pesinhos pra colocar na roupa pra se pesar? (tipo a Cassey em Skins) Sejam educados e respondam. haha

WLove,
Alice

terça-feira, 5 de outubro de 2010

Dois passos para frente, um para trás


Apesar de tudo, sempre me considerei uma lutadora. Lutava contra preconceitos na escola, lutava pra ser popular, lutava pelos meus direitos como estudante que queria matar aula, lutava pra poder sair de casa, lutava a favor dos animais, lutava contra a homofobia. Lutei inclusive no vestibular. Lutei pelo corpo perfeito. Nem sempre lutei a favor do que era certo, mas sempre me mantive firme, com algumas recaídas. Ultimamente, admito, estava lutando contra uma doença que nem acredito que eu tenha. Perdi uma batalha hoje. É frustrante ter que se alimentar a cada 3 horas, querer comer tudo, não querer comer nada, e fingir que tá tudo bem pra não ser internada de novo. Mas hoje saí pra comprar um shampoo e voltei com uma substância química emagrecedora. Não me contive e passei na farmácia. Engraçado porque eu presumi que foi o futuro. Passei em 2 supermercados e 1 farmácia e não encontrei meu shampoo... Isso me fez ir descontroladamente em direção À (porque é A) farmácia que eu sabia que encontraria um medicamento bem raro, que custa o preço exato do meu shampoo. E tomei. Não esperei nem chegar em casa, engoli sem água mesmo, meti pra dentro e senti que estava engolindo sentimentos de euforia, alegria e uma coisa que me incomoda um pouco: decepção. Perdi, admito que perdi. Ao mesmo tempo, sinto um alívio tão grande em “voltar a esse mundo” que não consigo nem descrever em palavras. Queria um NF bem gostoso de 3 dias agora, queria parar de comer até ficar fraca demais pra levantar de cama. Queria sentir meu estômago suplicando de fome e uma sensação enorme de AUTO CONTROLE. Mas não posso, vou ficar só no medicamento X (não me peçam nome, por favor). Dia vinteealgumacoisa eu tenho triagem em uma clínica, espero ter emagrecido um pouco, só um pouco, o suficiente que dê pra enganar com 2 litros de água, e estar me sentindo feliz como tenho me sentido ultimamente. Odeio admitir, odeio mesmo, mas to muito mais feliz e encontrando o caminho da paz que tanto almejava um post atrás. Sei que é bom, mas odeio admitir. Well, good luck for all. Volto.

sábado, 2 de outubro de 2010

Alguém viu minha bandeirinha branca por aí?

Eu, verão de 2008
É tudo meio louco. Não faço a mínima idéia do que quero da vida, de verdade, to com muitas dúvidas, não sei o que fazer. Não sei nem se escolho feijão ou lentilha no almoço, é tudo muito diferente, novo, e ruim. Não novo bom, novo ruim. Ao mesmo tempo tá tudo parado e nada acontece, e sempre que penso em alguma coisa pra acontecer, ou eu não tenho permissão ainda pra fazer tal coisa, ou estou muito cansada. Cansaço... ultimamente se tenho dormido 12 horas por dia ainda é pouco, não sei mais o que fazer em relação à isso. Chega 13h e eu to que não me aguento mais em pé, minhas pálpebras pesam de uma maneira que não consigo sequer abrí-las direito. E então tudo começa a doer. É gastrite eu acho, essa queimação, náusea e dor de cabeça. Daí não quero comer porque realmente estou enjoada e tenho que fazer um esforço com o cú da puta que pariu pra conseguir abrir a boca e colocar uma garfada de comida pra dentro. Sorte minha que minha mãe tem entendido e não insiste muito. Eu disse muito. Fora isso, minhas terapias acabaram, vou mudar de equipe, finalmente. Primeiro queriam me colocar com uma equipe que só atende internação. Me internar de novo? Supliquei para os meus pais e acho que quanto a isso tá tudo bem, sem internação. Mas eu ainda não entendi direito o que vai acontecer de agora em diante. Conto quando descobrir. As terapias sei que vão voltar, eles dizem que não tá na hora ainda de eu seguir sem terapia. Nunca tá na hora pra nada, odeio isso. Retomando não saber o que quero direito da vida.. digo, em relação a tudo, tudo mesmo. Não sei se quero continuar na faculdade que parei ou se quero fazer outro curso. Não sei se quero fazer um curso nada a ver também, ou se volto ao cursinho. Agora to indo pro inglês, mas nem sei se isso eu quero ainda! É tudo estranho. Sei que quero sair com meus amigos, mas ando muito cansada. Adoro fazer compras mas essa gastrite tá me incomodando de verdade. Um problema de cada vez, porém pra resolver a gastrite tenho que enfrentar meu médico, e sinceramente eu to traumatizada de tantos médicos e diagnósticos e remédios. Eu só queria estar em paz, engraçado que eu estava mais em paz quando estava me matando aos poucos do que agora que tento lutar pra sobreviver. PAZ, EU QUERO PAZ.

domingo, 26 de setembro de 2010

37 dias - Home, sweet home


Recebi alta hoje. Podia acabar meu post por aqui que eu já estaria completamente feliz. Mas, contudo, entretanto, a alta só me foi concedida com trilhões de “regrinhas” a serem seguidas. Banheiro: mesma coisa do hospital, não posso usar 1h após as refeições. Refeições: Minha mãe ou pai me serve e eu tenho que estar sempre acompanhada. Internet: 1hora a tarde, no trabalho (que aliás, vou trabalhar junto com a minha mãe) e meia hora a noite, na sala, só pra ver e-mails. Quarto: Só pra dormir. E a dieta é a mesma que eu recevia no hospital, com poucas adaptações, por enquanto, até a nutricionista vir aqui em casa conversar comigo. Engraçado que a primeira coisa que fiz quando recebi alta foi passar no mercado com meus pais e comprar leite desnatado, queijo quark e pão light, todos proibidos na minha dieta. Com isso já cortei as calorias dos lanches pela metade. E agora, 10h30 estou no computador, no meu quarto... é, nem tudo sai como planjeado né. J A meta agora é engordar na verdade. Se eu emagrecer vão querer me dar mais comida, mais calorias. Queria poder sair com meus amigos, mas não tá “na hora” ainda... De qualquer forma, porra, como é bom estar em casa, dormir na minha cama e comer uma torrada no lanche (odeio bolo, só me davam bolo no hospital). Por enquanto vou relaxar e fazer como mandam, breve voltarei!

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

36 dias - Tédio imperial, um oi da velha amiga depressão

Não to num clima pra escrever hoje, mas tá passando um filme sobre crianças espiãs na tv e, bom, eu não tenho nada pra fazer, preciso me ocupar. Hoje foi a pesagem, engordei meio quilo (a balança acusou 1 porque tomei 1 litro de água antes da pesagem) e to com 52,6 agora. Mesmo assim, to me sentindo mais magra, estranho, bizarro, enfim. Resolvi me render, não ao tratamento, mas pra ir embora daqui. Hoje comi todo o café da manhã, todo o almoço e todo o lanche, sem esconder nadinha de comida. Minha meta é engordar mais meio quilo até terça que é a próxima pesagem pra ver se me mandam embora daqui de uma vez. Não sei mais o que pensar, ando muito triste, desiludida, com vontade de foder mais a minha vida.. acho que a depressão tá voltando, e quando eu tento mostrar isso pros médicos ninguém acredita em mim, é sempre “parte do tratamento” ou “desculpa pra ir embora”. De qualquer jeito hoje tem reunião, as 18h, entre os profissionais e meus pais. Sei que meus pais vão meter a maior pressão do mundo em cima deles pra ver porque ainda não saí daqui quando claramente esse tratamento tá me fazendo mais mal do que bem agora. É isso, vou dormir porque não há nada pra fazer. Amanhã tinha uma reunião com a agência e não vou poder ir, que ótimo, mais um motivo pra me deprimir. Fica uma pergunta aí, se alguém puder me responder: pseudoefedrina tem o mesmo efeito da efedrina??

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Who's in control now?

Não sei direito o que to sentindo. Por um lado, quero desesperadamente o remédio exatamente para não me sentir mais desesperada, pra não ter oscilações tão fortes de humor e tal. Por outro, não quero o remédio porque ele me deixa.. qual a palavra mesmo? Robotizada. Incrível o poder que um comprimido a mais tem em não me fazer sentir nada mais.E quando não sinto nada, tenho vontade de morrer, porque a vida perde todo o sentido.
Minha mãe acabou de me ligar pra contar que marcou reunião com a “equipe”. Sinto na voz dela que ela simplesmente não aguenta mais. Ninguem aguenta mais. Tento convencer minha mãe de assinar os papéis de responsável total por mim pra gente se mandar daqui. Não adianta, ela vai a fundo pesquisar com diversos profissionais se eu devo ou não sair, se essa é a hora. Sinceramente, tenho esperança nisso. Acho que é a hora, acho que chegou um limite insuportável em que chorar todos os dias pensando como a morte seria a melhor saída virou um hábito. Tenho medo de um dia colocar a prova, sei direitinho onde ir e pular, apesar de preferir uma coisa mais dramática como me entupir de remédios. Não gosto do frio na barriga de quando a gente cai, mas por vezes me parece a única opção.
Amanhã tem pesagem de novo, e não sei o que esperar. Continuo escondendo comida, com menos intensidade, admito que tenho comido mais. Acho que mantive, e se mantive tenho que tomar 1 L de água (que me espera embaixo da pia do banheiro) antes de me pesar.
Ainda preciso de drogas, ontem eu saí pra comprar aquele medicamento que custa uns 7 e pouco, mas tenho somente 6 reais. Preciso descobrir alguma coisa que de barato (melhor ainda se emagrecer) que não precise de prescrição e que custe menos do que 6 reais. Como não achei ontem, triturei meu antidepressivo e fiz uma carreirinha, depois fiz o mesmo com uma dipirona. Hoje cheirei acetona (aliás, só me deu dor de cabeça). Triste, muito triste tudo isso, mas é a única forma de sair um pouco dessa realidade que me circunda. Odeio essa realidade, por isso penso em sair definitivamente dela (ô, ô, lá vamos nós de novo)... Chega de tanta besteira, só queria sair daqui e ir pra uma festa encher a cara, é tão difícil assim?? Porque eu realmente acho que é mais fácil do que me envolver em um mar de sangue. Preciso colocar pra fora tudo isso, preciso vomitar.

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Prefiro caber no caixão

Queria conseguir colocar meus pensamentos em ordem. Consequencias, eu sabia que haveria. Realmente não esperava que fossem essas... Minhas saídas de 1 hora à tarde foram reduzidas à 20 minutos, para que eu não me mexa muito. Não vou poder mais sair pra comprar roupas, não posso ir na formatura que eu iria na quinta. Agora fico aqui nesse quarto, sozinha o dia inteiro, pensando bobagem. Todo tipo de bobagem. Ao ponto que eu saí (naqueles 20min) pra comprar um medicamento que ajuda a queimar gordura porque da um up no organismo (e com up quero deixar claro que ao aumentar o metabolismo ele dá muita tremedeira e acelera mesmo). Não tinha na farmácia, e mesmo que tivesse não sei se eu ia conseguir pechinchar pelos míseros 6 reais que tenho aqui, escondidos. A psicóloga veio aqui e só falou merda, como sempre. Com todo respeito aos psicólogos mas eu nunca vi uma criatura falar tanta merda ao ponto de me fazer odiar tal profissão. Nem profissão eu considero mais. Psiquiatra tudo bem, ainda me receita uns remédios pra ver se minha cabeça para de ter tantos curtos-circuitos. Mas aquele papo de psicólogo com folhinha pra anotar os pensamentos e emoções e sentimentos e o caralho a quatro. Que nojo. Quero álcool ainda, e fico aqui me deliciando no futuro em que poderei beber, sair, me drogar e transar a la vonte. Claro que não almejo só isso. Quero sair daqui pra juntar uma grana e me mudar pra outro estado (e quem sabe outro país) onde eu possa definhar em ossos em paz. Definhar. Algo muito sinistro me faz gostar dessa palavra. Chega de esconder comida (só o café da manhã porque é um hábito tão mais forte que eu que eu acho que piro se perder o controle sobre ele) e simbora ganhar umas graminhas pra me mandar daqui, me livrar dessa “equipe” e morrer de desnutrição. Afinal, estou bem ciente, a vida é minha e se prefiro morrer e caber no caixão o problema é meu. By the way, prefiro mesmo é ser cremada e não poluir o ambiente com gordura queimada.

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Sobre essa manhã ventosa - E porque não omitir?

Eu não minto que não tomo líquidos antes das pesagens, só omito o fato. E, ao meu entender, omitir não e tão grave quanto mentir. Então que hoje era dia da pesagem, maldito dia. Aqui eu aprendi a odiar terças e sextas-feiras. Duas pesagens por semana. Na última eu havia emagrecido 700g, e hoje 500g. 1 quilo e 200, quase não me contenho de tanta felicidade. Lembrando que nas duas vezes eu bebi meio litro de água antes das pesagens, então na verdade eu estou com 52,100 e a balança acusou 52,600 hoje. De qualquer maneira, eu extrapolei limites. 100 míseras gramas. Eu deveria me manter em uma faixa de 52,700 a 55,500, quando passo disso é porque ou emagreci, ou engordei. Wathever, to feliz pra caramba, da próxima vez vou beber 1 litro de água e tá tudo resolvido. Quero ver mais tarde as consequencias disso, ditadas pela psiquiatra.

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

32 dias - O teste final

E aí que a minha psiquiatra veio perto do meio-dia hoje. Então rolou a consulta, falsidade, tá tudo ótimo, to aceitando meu peso, to super pronta pra ir comprar roupa sem me grilar, enfim, normal. E ela saiu, e chegou minha comida. Comi o que suportei, deixei um pedaço da carne (que aliás, eu nunca deixo), um pouco do arroz, um pouco do feijão (que aliás, eu sempre deixo), e a sobremesa (que era um flan nojento de caramelo – odeio flan). Levantei pra escovar meus dentes e a psiquiatra abre a porta, mandando eu terminar de comer pelo menos o feijão. Affe, eu mereço. Comi, né. Acabei de voltar do shopping, saí pra comprar as roupas, finalmente. Misto de emoções: medo e felicidade. Aliás, essa é a prova final: Medo não precisa nem dizer porque né. No entanto, irei dizer: engordei 5 quilos, to uma baleia, uma porca e tenho que experimentar roupas e não posso ter crise nenhuma, pra não ficar forever aqui. Felicidade porque porra, eu sou mulher e adoro fazer compras, oras. No fim foi tudo.. igual. É feriado aqui, tinha pouquíssimas lojas abertas (como no domingo elas abrem, achei que abririam hoje) e vou deixar o dia de compras pra amanhã ou algum outro dia na semana. 
To com medo de pirar tudo de novo, a vontade de me entorpecer continua e por vezes parece ser mais forte que eu. Tenho 5 reais roubados aqui que fico guardando pra algum momento que eu realmente precise, mas to pensando seriamente que esse momento chegou: vou gastar num boteco em 2 doses de vodka. Foda-se, preciso de álcool, drogas, alguma coisa queimando minhas veias, meu senhor!

Vou deixar um apelo aqui pra por favor responderem a pergunta que eu vou fazer, porque eu sei que tem gente que lê meu blog, mesmo sem comentar nada. Uhahuaa Alguém tem uma dica de como fazer pra ter uma crise de asma? Porque eu tenho asma, mas faz tempo que não tenho crise, precisava de uma... Mesmo que você não saiba, seja gentil e responda. Pleaaase! :D

domingo, 19 de setembro de 2010

31 dias - Happy Birthday


Acordei e fui fazer meu ritual do café-da-manhã. Brincar de esconde-esconde com a comida. Escondi o pão, o queijo e o peito de peru. Hoje veio duas bolachinhas cream craker e resolvi que ia comer, além do café com leite e fruta. Insano. Não consegui controlar, peguei de volta o pão e os frios e comi. Acho que se tivesse mais comida eu teria comido... Lá vem a compulsão querendo voltar. Depois a culpa. Esperei uma hora e fui tomar meu banho. Lutei, lutei muito pra não vomitar. Sempre precisei colocar os dedos na garganta porque não é um hábito meu vomitar. Mas não dessa vez, era só abaixar a cabeça no box que eu sabia que tudo sairia na mesma intensidade em que entrou. Lutei mais um pouco. Consegui. O desejo de vomitar ainda permaneceu, mas não posso vomitar pra não acusar na merda do exame de sangue. Se eu vomitar, nunca mais saio daqui. Fui fumar um cigarro, ultimamente ando com uma vontade tão self-destructive, de me entupir de álcool e entrar em coma alcoólico. Acho que é abstinência, de tudo. Se tivesse acesso à cocaína já teria dado um teco. Fico aqui me motivando a sair desse inferno pra poder me enfiar em outro, pelo menos num mais gostoso. Quero chegar em casa e beber tudo que encontrar pela frente em alguma tarde que eu fique sozinha. Não poso negar que isso me dá mais forças pra mentir. Vodka queimando a garganta, é disso que preciso no momento. Só de lembrar da sensação de embriaguez já me dá frio na barriga, é tão bom se entorpecer! Que se foda as calorias do álcool, depois compenso com falta de comida e exercícios. Durante o banho também fiquei imaginando que delícia seria ter efedrina circulando pelo corpo, resolvi também que ao chegar em casa vou comprar o remédio X e retomar alguns velhos hábitos – velhos hábitos que já me mandaram pro hospital, mas que se foda. Anfetaminas. Sei como conseguir e vou atrás quando sair daqui. Preciso de alguma coisa, alguém me manda plis? :( Mais tarde, fui fazer o lanche da tarde fora. Tomei um café pingado duplo, sem a espuma (quase um expresso né haha), 1 maçã pequena e 2 pães de queijo, de 70 calorias cada. Apesar de ser umas 200 calorias pra um mísero lanche, fico feliz que não tenha tido que comer bolo (vem bolo e batida de frutas + uma fruta quase todo dia a tarde), que dava um total de umas 400 calorias por lanche no hospital. Andei pelo shopping, vi umas roupas e já fico pensando o que vou comprar na saída de amanhã! To super empolgada em comprar roupa, finalmente um vício que vou poder suprir! A vontade de fazer algo ilegal e proibido tá me consumindo, vai ser difícil resistir. Quem sabe vomitar a janta, que vem daqui a pouco? Mas e o exame? Aiai... Opa, quase esqueço de dizer que estou fazendo aniversário aqui. 1 mês. Parabéns pra mim. ¬¬